O Amor de Deus

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3, 16)

Desde o princípio, na criação, contada no livro dos Gêneses, Deus demonstra o seu amor por cada um de nós. Deus ao criar o homem disse que era muito bom, o homem agradou a Deus de tal modo que Ele o deixou para governar o mundo que fez. Mesmo que Deus tenha deixado o homem como governante da terra, ele não nos abandonou por aqui, muito pelo contrário, quis uma relação muito próxima com cada um de nós. O amor de Deus por nós é tão grande e tão presente em nossas vidas que não há um único fio de cabelo em nossa cabeça que não esteja contado pelo Senhor.

O pecado surgiu na vida dos homens, como reflexo do desamor. O demônio busca atrair as pessoas por meio de mentiras, pois amor ele não pode e nunca poderá oferecer ao homem, já que este sentimento é criação única e exclusiva de Deus. O mundo se corrompeu, deixou-se levar pelas mentiras do inimigo, e esqueceu-se do Deus de Amor. Não tendo mais o Senhor como demonstrar amor ao homem, Ele enviou o seu único filho à terra para nos pregar a salvação por meio do Evangelho do Amor.

“Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.” (João 15, 12)

Jesus veio à terra e teve como maior missão nos ensinar a amar. Como exemplo para nós, Ele nos amou e nos disse que o maior de todos os mandamentos é o amor. Ser cristão significa ser discípulo do amor, e os santos foram simplesmente pessoas que durante a vida souberam amar. Encontramos nas palavras de muitos santos a importância do amor, e o quanto este nos liga à Deus. São Pio de Pietrelcina afirma que “O amor nada mais é do que o brilho de Deus nos homens”. Madre Tereza de Calcutá, por sua vez, disse: “Eu descobri um paradoxo. Se você amar até doer, não vai haver mais dor, apenas mais amor”. Está aí o grande segredo, é preciso amar até doer, até cansar, pois assim estaremos aceitando seguir os passos de Jesus e ir até a cruz por amor.

“Tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.” (João13,1)

Jesus deu a maior prova ao nos amar até o fim, dando a sua própria vida por nossa salvação. Ele foi desacreditado, questionado, humilhado, flagelado, carregou a sua cruz, foi crucificado e ainda assim não voltou atrás, amou até o fim.

Este amor nos ensina que como diz São Paulo aos Romanos, nada nos separará do amor de Deus: “Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos separará do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 8, 38-39)

É desta forma, com esta certeza, que encerro esta reflexão, NADA NOS SEPARARÁ DO AMOR DE DEUS, ainda que caminhemos pelo vale da morte, estando no mais alto dos céus ou no mais profundo dos abismos, não importa, lá estará Deus conosco, nos amando até o fim.

Pela intercessão da Sagrada Família de Nazaré,

Que Deus o abençoe!

Bruno Onofrio
Consagrado da Comunidade Sagrada Família
e Coordenador do Projeto Resgate Jovem

Share and Enjoy:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
Esta entrada foi publicada em Formações. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>