Carta do Papa Bento XVI aos jovens pela JMJ Rio 2013

Queridos jovens:

Alegro-me em dirigir-me novamente a vocês, por ocasião da XXVII Jornada Mundial. A memória da reunião em Madri em agosto passado ainda está presente no meu coração. Foi um tempo extraordinário de graça, durante o qual o Senhor tem abençoado os jovens presentes, vindos de todo o mundo. Agradeço a Deus pelos muitos frutos que surgiram naqueles dias e no futuro continuarão a se multiplicar entre os jovens e as comunidades a que pertencem. Agora estamos indo agora para a próxima reunião no Rio de Janeiro em 2013, cujo tema será “Ide e fazei discípulos de todas as nações” (cf. Mt 28:19).

O tema deste ano do Dia Mundial da Juventude nos dá a exortação da Carta do Apóstolo Paulo aos Filipenses: “Alegrai-vos sempre no Senhor!” (4,4). Na verdade, a Alegria é um elemento central da experiência cristã. Nós também experimentou em cada Jornada Mundial da Juventude uma intensa alegria, a alegria da comunhão, a alegria de ser cristãos, a alegria da fé. Esta é uma característica dessas reuniões. Vemos a força de atração que ele tem: em um mundo muitas vezes marcado por tristeza e ansiedade, a alegria é um testemunho importante para a beleza e confiabilidade da fé cristã.

Vocação da Igreja é trazer alegria para o mundo, uma alegria verdadeira e duradoura, o que os anjos anunciaram aos pastores de Belém, na noite do nascimento de Jesus (cf. Lc 2,10). Deus não só tem falado, não só cumpriu sinais miraculosos da história da humanidade, mas tornou-se tão perto que chegou a ser um de nós, através dos vários estágios da vida de todo homem. No actual contexto difícil, muitos jovens ao seu redor têm uma enorme necessidade de sentir que a mensagem cristã é uma mensagem de alegria e esperança. Gostaria agora de reflectir convosco sobre esta alegria no caminho para encontrá-lo, para que você possa viver com maior profundidade e ser mensageiros do que daqueles que o rodeiam.

1. Nossos corações são feitos de alegria

O desejo de felicidade está gravado nas profundezas dos seres humanos. Além das satisfações imediatas e temporárias, o nosso coração pede a alegria profunda, plena e duradoura, pode dar “sabor” à existência. E isto é especialmente verdade para você, porque a juventude é um período de descoberta contínua da vida, o mundo dos outros e de si mesmo. É um momento de abertura para o futuro, onde se manifestam os maiores votos de felicidade, amizade, partilha e verdade, onde um é dirigido por ideais e projetos são concebidos.

Cada dia o Senhor nos dá muitas alegrias simples: a alegria de viver, a alegria com a beleza da natureza, a alegria de um trabalho bem feito, a alegria do serviço, a alegria do amor puro e sincero. E se olharmos com cuidado, há muitas razões para a alegria: os belos momentos da vida em família, amizade, partilha, descoberta de suas próprias habilidades pessoais e alcançar bons resultados, a valorização que os outros vão ter a oportunidade de expressar e se sentir compreendido, o sentimento de ser útil aos outros. Além disso, a aquisição de novos conhecimentos através da pesquisa, a descoberta de novas dimensões através de viagens e reuniões, a possibilidade de projetos futuros. Ele também pode nos dar a alegria verdadeira experiência de ler uma obra literária, para admirar uma obra de arte, ouvir e interpretar música ou assistir a um filme.

Mas a cada dia há tantas dificuldades que estão em nossos corações, temos tantas preocupações sobre o futuro, podemos nos perguntar se a alegria plena e duradoura, a que aspiramos é talvez uma ilusão e uma fuga da realidade. Muitos jovens se perguntam: é realmente possível hoje cheio de alegria? Esta procura é de várias maneiras, algumas das quais são manifestados como errónea, ou pelo menos perigoso. Mas como podemos distinguir as alegrias verdadeiramente duradouras de prazeres imediatos e enganosos? Como podemos encontrar a verdadeira alegria da vida, que dura e não nos abandona em tempos difíceis?

2. Deus é a fonte da verdadeira alegria

Na verdade, todas as alegrias autêntico, se o cotidiano pequeno ou grande na vida, têm sua origem em Deus, embora não aparente à primeira vista, porque Deus é uma comunhão de amor eterno, felicidade infinita não é é fechado em si, mas que se espalha aqueles que Ele ama e que o amam. Deus nos criou à Sua imagem para o amor e concedei-nos o seu amor, para encher-nos com a sua presença e graça. Deus quer-nos a partilhar a sua alegria, e Deus eterno, tornando o valor e descobrir o significado mais profundo da nossa vida é para ser aceito, acolhido e amado por Ele, e não um anfitrião frágil como seres humanos, mas com uma aceitação incondicional como ela é divina, eu sou amada, tenho um lugar no mundo e na história, eu estou pessoalmente amados por Deus. E se Deus me aceita, me ama e eu tenho certeza, então eu vou saber com clareza e segurança, é bom que eu sou, ele existe.

O amor infinito de Deus por cada um de nós se manifesta plenamente em Jesus Cristo. Nele está a alegria que buscamos. No Evangelho, vemos como os eventos que marcam o início da vida de Jesus caracterizado pela alegria. Quando o Arcanjo Gabriel anunciou à Virgem Maria para ser mãe do Salvador, começa com esta palavra: “Alegra-te” (Lc 1,28). No nascimento de Jesus, o Anjo do Senhor disse aos pastores: “Eu anunciar que vai ser uma boa notícia de grande alegria para todas as pessoas de hoje na cidade de Davi, vos nasceu o Salvador, o Messias, o Senhor “(Lucas 2,11). E os Magos que procuravam a criança “, vendo eles a estrela, regozijaram-se com grande alegria” (Mt 2,10). A razão para esta alegria é, portanto, a proximidade de Deus, que se tornou um de nós. Isto é o que Paulo queria dizer quando escreveu aos cristãos de Filipos: “Alegrai-vos sempre no Senhor, outra vez digo, regozijai-vos. Sua bondade deve ser conhecido em todo o mundo. O Senhor está perto “(Fl 4:4-5). A primeira causa da nossa alegria é a proximidade do Senhor, que me acolheu e me ama.

Na verdade, o encontro com Jesus sempre produz uma grande alegria interior. Vemos isso em muitos episódios dos evangelhos. Lembre-se de visita de Jesus a Zaqueu, um cobrador de impostos desonesto, um pecador público, a quem Jesus diz: “hoje eu preciso ficar em tua casa.” E São Lucas nos diz que Zaqueu o recebeu com alegria “(Lc 19:5-6). É a alegria do encontro com o Senhor, é sentir o amor de Deus que pode transformar toda a existência e trazer a salvação. Zaqueu decidiu mudar a sua vida e dar metade de seus bens aos pobres.

Na hora da paixão de Jesus, esse amor se manifesta em pleno vigor. Ele, nos últimos momentos da sua vida terrena, em um jantar com amigos, diz: “Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor … Eu te disse isso para que minha alegria esteja em você e sua alegria seja completa “(Jo 15,9.11). Jesus quer que seus discípulos a entrar e cada um de nós, na plenitude de alegria, que ele compartilha com o Pai, que o amor com o Pai te ama está em nós (cf. Jo 17:26). A alegria cristã é aberto a esse amor de Deus e pertencem a Ele.

Os Evangelhos dizem que Maria Madalena e outras mulheres foram visitar o túmulo onde Jesus tinha feito depois de sua morte e recebeu um aviso de um anjo desconcertante da sua ressurreição. Assim, apenas Evangelista tipo, deixou o túmulo com pressa “, cheio de medo e alegria”, e correu para anunciar a notícia feliz para os discípulos. Jesus veio até ele e disse: “Alegra-te” (Mt 28,8-9). É a alegria da salvação oferecida a eles: Cristo é a vida, é aquele que venceu o pecado, o mal ea morte. Ele está presente entre nós como o Ressuscitado, até o fim dos tempos (cf. Mt 28,21). O mal não tem a última palavra sobre nossas vidas, mas a fé em Cristo, o Salvador nos diz que o amor de Deus é o vencedor.

Esta grande alegria é o fruto do Espírito Santo nos torna filhos de Deus, viver e desfrutar de sua bondade, tratá-lo com ‘Abba’ as palavras, Pai (cf. Rm 8,15). A alegria é um sinal da sua presença e ação dentro de nós.

3. Loja no coração da alegria cristã

Aqui nos perguntamos: Como podemos receber e preservar este dom da alegria, alegria espiritual profunda?

Um Salmo diz: “Deixe que o Senhor teu prazer, e ele vai dar o que você pergunte ao seu coração” (Sl 37,4). Jesus explica que “O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido no campo: ele encontra e se esconde de novo, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem e compra aquele campo” (Mt 13 44). Encontrar e manter a alegria espiritual surge do encontro com o Senhor que nos chama a segui-lo, para decidir com determinação, colocando toda a nossa confiança nEle Queridos amigos, não tenha medo de arriscar sua vida, abrindo a Jesus Cristo e seu Evangelho, é a maneira de ter a verdadeira paz e felicidade dentro de nós mesmos, é o caminho para a verdadeira realização de nossa existência como filhos de Deus, criados à Sua imagem e semelhança.

Encontrar a alegria no Senhor, a alegria é o fruto da fé, cada dia é reconhecer a sua presença, sua amizade: “O Senhor está perto” (Fl 4,5), está novamente a colocar a nossa confiança nele, é crescer em seu conhecimento eo seu amor. O “Ano da Fé”, que começará em poucos meses, vamos ajudar e incentivar. Queridos amigos, aprender a ver como Deus trabalha em sua vida, Redescubra escondida no coração dos acontecimentos de cada dia. Creia que Ele é sempre fiel à aliança selada com você no dia do seu Baptismo. Saiba que você nunca deixe. Dirigid muitas vezes seus olhos a Ele na cruz deu a sua vida porque ele te ama. A contemplação de um amor tão grande dá aos nossos corações de esperança e uma alegria que nada pode destruir. Um cristão nunca pode estar triste, porque ele encontrou Cristo, que deu sua vida por ele.

Buscai o Senhor, encontrá-lo também significa acolher a sua palavra, que é alegria para o coração. O profeta Jeremias escreve: “Se eu encontrasse as suas palavras, devorou: suas palavras serviram-me de alegria, eram a alegria do meu coração” (Jr 15:16). Aprenda a ler e meditar sobre as Escrituras, lá você vai encontrar uma resposta para as questões mais profundas sobre a verdade que habita em seu coração e sua mente. A Palavra de Deus nos faz para descobrir as maravilhas que Deus operou na história humana e cheia de alegria, proclamar em louvor e adoração, “Vinde, cantemos ao Senhor … curvar-se para o chão, a bênção do Senhor, nosso criador” ( Sl 95,1.6).

A liturgia em particular, é o lugar por excelência onde a alegria é evidente que a Igreja recebe do Senhor e se espalhou pelo mundo. Todos os domingos, na Eucaristia, as comunidades cristãs celebram o mistério central da salvação: a morte e ressurreição de Cristo. Este é um momento crítico para o caminho de cada discípulo do Senhor, onde é o sacrifício do amor é o dia em que encontrar o Cristo ressuscitado, ouvir a Sua Palavra, somos alimentados por seu Corpo eo seu Sangue. Um Salmo diz: “Este é o dia que o Senhor fez: alegremo-nos e alegria” (Salmo 118,24). Na noite de Páscoa, a Igreja canta o Exultet expressão, de alegria com a vitória de Cristo sobre o pecado ea morte, “alegrar-se no coro dos anjos … Aproveite a planície de inundação tanta clareza … ecoar este templo com os aplausos a cidade para a festa! “. A alegria cristã vem de saber que são amados por um Deus que se fez homem, que Ele deu Sua vida por nós e venceu o mal ea morte é viver por causa dele. Santa Teresa de Lisieux, uma jovem carmelita, escreveu: “Jesus, minha alegria é te amar” (Poesia 45/7).

4. A alegria do amor

Queridos amigos, a felicidade está intimamente ligada ao amor, ambos são inseparáveis ​​frutos do Espírito (cf. Gal 5,23). O amor traz alegria, ea alegria é uma forma de amor. Bem-aventurada Madre Teresa de Calcutá, lembrando as palavras de Jesus: “Há mais felicidade em dar do que receber” (Atos 20.35), disse: “A alegria é uma rede de amor para capturar almas. Deus ama quem dá com alegria. E quem dá mais quem dá com alegria. ” O Servo de Deus Paulo VI escreveu: “No mesmo Deus, tudo é feliz, porque tudo é um dom” (Ex. p Gaudete in Domino, 09 de maio de 1975.).

Pensando em diferentes áreas de sua vida, eu diria que o amor significa constância, lealdade fé, nos compromissos. E que, primeiro, com os amigos. Nossos amigos esperam de nós para ser honesto, leal, fiel, porque o amor verdadeiro também é perseverante e, acima de tudo em apuros. E o mesmo vale para o trabalho, estudos e serviços que você carrega. A fidelidade e perseverança na boa pista para a alegria, embora isso nem sempre é imediato.

Para entrar na alegria do amor, somos chamados a ser generoso, não contente em dar o mínimo, mas para envolver completamente com atenção especial para os necessitados. O mundo precisa de homens e mulheres de competência e generosa, são aconselhados a servir o bem comum. Esforce-se para estudar a sério, cultivai os vossos talentos e fazê-los agora a serviço dos outros. Procurar formas de ajudar, esteja onde estiver, para tornar a sociedade mais justa e humana. Que toda a sua vida é movida pelo espírito de serviço, não a busca do poder, sucesso, material e dinheiro.

Falando de generosidade, eu tenho que mencionar uma alegria especial, é o que se sente a responder à vocação de dar vida ao Senhor. Queridos amigos, não tenha medo de chamamento de Cristo para a vida religiosa, sacerdotal ou missionária monástica. Tenha certeza de que enche de alegria aqueles que, dedicando a vida a partir dessa perspectiva, responder ao seu convite a deixar tudo para ficar com ele e se envolver plenamente a serviço dos outros. Da mesma forma, há grande alegria que Ele dá aos homens e mulheres que são doados inteiramente um ao outro em casamento para começar uma família e tornar-se um sinal do amor de Cristo pela sua Igreja.

Deixe-me mencionar um terceiro elemento para entrar na alegria do amor para crescer em sua vida ea vida de suas comunidades de comunhão fraterna. Existem relações estreitas entre a comunhão e alegria. Não é de surpreender São Paulo escreveu a sua exortação no plural, isto é, não dirigido a todos no singular, mas diz: “Alegrai-vos sempre no Senhor” (Fl 4,4). Somente juntos, vivendo em comunhão, podemos experimentar esta alegria. O livro de Atos descreve a comunidade cristã primitiva: “Partiam o pão em suas casas e levou a comida com alegria e singeleza de coração” (Atos 2,46). Empleaos-vos completamente para as comunidades cristãs podem ser lugares privilegiados em que eles compartilham, de assistir e cuidar uns dos outros.

5. A alegria da conversão

Caros amigos, para experimentar a verdadeira alegria também deve identificar as tentações que longe. A cultura de hoje tem muitas vezes procuram metas, conquistas e prazeres imediatos, promovendo mais inconstante que a perseverança no esforço e na fidelidade aos compromissos. As mensagens que você recebe se volta para a lógica do consumo, prometendo uma felicidade artificial. A experiência mostra que a propriedade não coincidir com a alegria. Há muitas pessoas que, apesar de ter abundância de bens materiais, muitas vezes são oprimidos pela tristeza, desespero e sentir um vazio na vida. Para se manter na alegria, somos chamados a viver no amor e verdade, para viver em Deus.

A vontade de Deus é para que sejamos felizes. Assim que nos foi dado instruções específicas para a nossa viagem: os mandamentos. Cumprindo-los a encontrar o caminho da vida e da felicidade. Embora à primeira vista pode parecer um conjunto de proibições, quase como um obstáculo à liberdade, se meditarmos mais perto, à luz da Mensagem de Cristo, representam um conjunto de regras essenciais e valiosas da vida que conduzem a uma vida feliz, realizada de acordo O plano de Deus. Quantas vezes, no entanto, descobrimos que o edifício ignorando Deus e Sua vontade leva à tristeza, decepção e um sentimento de derrota. A experiência do pecado como recusa a segui-lo, como uma ofensa à sua amizade, escurece nossos corações.

Mas, embora às vezes o caminho cristão não é fácil eo compromisso de fidelidade ao amor do Senhor é impedido ou registrado quedas, Deus em Sua misericórdia, não nos abandona, mas sempre nos oferece a possibilidade de retornar a Ele, para reconciliar-se com Ele, para experimentar a alegria do seu amor que perdoa e bem-vindos novamente.

Queridos jovens, muitas vezes, recorrer ao Sacramento da Penitência e da Reconciliação! É o sacramento da alegria reencontrada. Peça ao Espírito Santo luz para ser capaz de reconhecer seu pecado ea capacidade de pedir perdão a Deus através de abordar este sacramento com serenidade, constância e confiança. O Senhor sempre abre os braços, você purifica e você encher sua alegria seja a alegria no céu por um pecador que se arrepende (Lc 15,7).

6. A alegria em testes

No final pode estar em nossos corações a questão de saber se é possível viver na verdade com alegria, mesmo em meio a tantas provações da vida, especialmente o. Mais doloroso e misterioso, de se seguir o Senhor e confiar Ele sempre dá felicidade

A resposta pode dar-nos as experiências de jovens como vocês que encontraram precisamente em Cristo a luz que permite dar força e esperança, também em meio a situações muito difíceis. Beato Pier Giorgio Frassati (1901-1925) viu muitas evidências em sua breve existência, um dos que dizia respeito a sua vida amorosa, que feriu profundamente. Precisamente nesta situação, escreveu à sua irmã: “Você me pergunta se eu sou feliz, e como não poderia ser? Enquanto a fé me forçar eu vou sempre alegre. Um católico não pode deixar de ser feliz … A finalidade para a qual fomos criados nos mostra que, mesmo cheia de espinhos, e não uma forma triste, também é feliz, mesmo através da dor “(Carta aos Luciana irmã, Turim, 14 de Fevereiro 1925). E o Beato João Paulo II, para apresentar um modelo, disse dele: “Ele era um jovem de uma alegria contagiante, uma alegria que estava por cima muitas dificuldades em sua vida” (Discurso aos jovens, Turim, 13 de abril, 1980).

Mais perto de nós, a jovem Chiara Badano (1971-1990), recentemente beatificado, viu como a dor pode ser transformada pelo amor e ser habitado por alegria. Aos 18 anos, numa época em que o câncer o fez sofrer de uma forma particular, orou ao Espírito Santo para interceder pela juventude de seu movimento. Além de sua cura, pediu a Deus que ilumine o seu Espírito a todos os jovens, dar-lhes sabedoria e luz: “Foi um momento de Deus sofreu muito fisicamente, mas o canto da alma” (Carta a Chiara Lubich, Sassello , 20 de Dezembro, 1989). A chave para a sua paz e felicidade era a confiança total em Deus ea aceitação da doença como expressão misteriosa de sua vontade para o seu bem e dos outros. Muitas vezes repetida: “Jesus, se você quiser eu também quero.”

Estas duas simples declarações, entre outros, mostrando como o verdadeiro cristão nunca está desesperado ou triste, mesmo nas mais duras provas e mostrar que a alegria cristã não é uma fuga da realidade, mas uma força sobrenatural para lidar e viver dificuldades cotidianas. Sabemos que Cristo crucificado e ressuscitado Cristo está conosco, o amigo fiel. Quando nós participamos dos seus sofrimentos, também participam na sua alegria. Com Ele e Nele, o sofrimento se transforma em amor. E é aí que reside a alegria (cf. Col 1,24).

7. Testemunhar a alegria

Caros amigos, em conclusão, eu gostaria de encorajá-lo a ser missionários da alegria. Você não pode ser feliz se os outros não são. Portanto, devemos compartilhar a alegria. Vá e diga a outros jovens a felicidade de ter encontrado este tesouro precioso é o próprio Jesus. Não podemos guardar para nós a alegria da fé, para que possa permanecer em nós, temos que passar. João diz: “Isso que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos tenhais comunhão conosco … Estamos escrevendo esta que a nossa alegria seja completa» (1 Jo 1,3-4).

Às vezes, apresenta uma imagem do cristianismo como um modelo de vida que oprime a nossa liberdade, que vai contra o nosso desejo de felicidade e alegria. Mas isso não corresponde à verdade. Os cristãos são homens e mulheres verdadeiramente felizes porque sabem que você nunca está sozinho, mas sempre sustentada pelas mãos de Deus. Especialmente você, jovens discípulos de Cristo, tem a tarefa de mostrar ao mundo que a fé traz a verdadeira felicidade e alegria, plena e duradoura. E se o estilo de vida dos cristãos, por vezes, parece cansado e entediado, então você deve ser o primeiro a testemunhar o rosto alegre e feliz da fé. O Evangelho é a “boa notícia” que Deus nos ama e que cada um de nós é importante para o mostrar ao mundo que este realmente é.

Tão animado para ser missionários da nova evangelização. Trazer para aqueles que sofrem, aqueles que estão procurando, a alegria que Jesus quer dar de presente. Leve-a para suas famílias, suas escolas e universidades, para o seu local de trabalho e do seu grupo de amigos onde quer que vivem. Você vai ver que é contagiosa. E receberá cem vezes: a alegria da salvação para si mesmo, a alegria de ver a Misericórdia de Deus operando nos corações. No dia de seu encontro final com o Senhor, Ele vai dizer: “servo bom e fiel, entra no gozo do teu senhor” (Mt 25,21).

Que Maria vos acompanhe neste caminho. Ela recebeu o Senhor dentro de si mesmo e anunciou com uma canção de louvor e de alegria, a Magnificat: “Minha alma engrandece o Senhor, meu espírito exulta em Deus meu Salvador” (Lc 1,46-47). Maria respondeu a Deus amar plenamente a dedicar sua vida a Ele no serviço humilde e total. Ele é chamado de “causa da nossa alegria”, porque Jesus nos deu. Que ela vai entrar na alegria que ninguém pode remover.

Vaticano, 15 mar 2012

 PAPA BENTO XVI

Share and Enjoy:
  • Print
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google Bookmarks
  • Blogplay
Esta entrada foi publicada em Eventos, Formações. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>