Experimenta (João Cláudio Rufino)

Publicado em Destaques, Formações, Pregações (Vídeos) | Deixar um comentário

AMOR MAIOR 2013 – Tema: “Amor que eu nunca vi igual!”

1. Pregação: “O Amor de Deus” (Regina Fasanella)

2. Pregação: “Pecado e Salvação” (Mauro da Conceição)

3. Pregação: “Fé e Conversão” (Bruno Onofrio)

4. Pregação: “Espírito Santo” (João Rufino)

5. Pregação: “Igreja e Comunidade” (Italo Fasanella)

6. Homilia da Missa de Encerramento do Amor Maior 2013 (Pe. João Carlos)

7. Louvores

Publicado em #ResgateJovemEmMissão, Destaques, Eventos, Formações, GADE - S. J. do Rio Preto, GADE - Santos, GADE - São Paulo, GADE Jr. - São Paulo, Pregações (Vídeos) | Deixar um comentário

A força curativa do perdão

“Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido” (Mat. 6, 12).

Na oração do Pai Nosso, o próprio Cristo nos ensina que o perdão é fundamental para a vida do ser humano. A sua importância é tanta, que Deus nos perdoa conforme nós perdoamos a quem nos ofende.

Quando pensamos na palavra “PERDÃO”, vem ao nosso pensamento situações em que alguém age de forma errada, pede perdão a quem ofendeu, e é perdoada. Entretanto, o perdão é muito mais do que um pedido de desculpas após um erro, inclusive independe do fato de ter ocorrido ou não um pedido de perdão, pois o perdão deve partir de nós gratuitamente, como forma de amor que é.

Somos chamados a perdoar sempre e quantas vezes forem necessárias, como nos narra o evangelista Lucas, no capítulo 17, versículos de 3 a 5, quando Jesus diz: “Sejam cuidadosos em seu viver. Se um irmão te ofender, repreende-o e, se ele se desculpar, perdoa-lhe. Sim, se ele te ofender sete vezes em um dia e vier até você e disser, ‘Me desculpe’ sete vezes, você deve perdoá-lo.”

Ainda que vivamos uma vida de fé, busquemos os sacramentos, se não somos pessoas capazes de perdoar o outro, de nada vale. Nossa fé é vivida verdadeiramente quando testemunhamos o amor e perdão. O perdão, muito mais do que falado, deve ser vivido. Ainda no antigo testamento, diz a Palavra de Deus: “Estas pessoas me honram com seus lábios, mas seus corações estão longe de mim” (Isaías 29, 13). Aproximemos nossa vida de Deus, falemos menos, perdoemos mais.

Quando julgamos o próximo, nos igualamos a Deus, mais do que isso, nos colocamos no lugar de Deus. Quem somos nós para julgar? Quem somos nós para não perdoar? Jesus já deixou o perdão como um importante caminho a ser percorrido pelos discípulos: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; somente assim podereis ser filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e vir chuvas sobre justos e injustos. Porque se amardes os que vos amam, que recompensa tendes?” (Mat. 5, 44-47).

Encontramos na Bíblia Sagrada vários personagens que tem suas vidas transformadas por meio do perdão. Maria Madalena, por exemplo, sendo adúltera, e prestes a ser apedrejada até a morte por seu erro, é encontrada por Jesus Cristo e perdoada. Quando Jesus foi crucificado, muitos de seus discípulos haviam fugido, mas aos pés da cruz ainda estava ela. Outro grande personagem bíblico, São Paulo Apóstolo, teve um encontro pessoal com Jesus e foi perdoado de todas as mortes que causou aos cristãos, e a partir desta nova vida, se torna um dos maiores evangelizadores de todos os tempos, sendo inclusive morto por sua fé em Cristo. Já São Pedro, após negar Jesus por três vezes, foi perdoado, e se tornou a pedra em que a Igreja de Jesus foi edificada, sendo o primeiro Papa. Por outro lado, temos a história de Judas Escariótes, um homem que foi escolhido como um dos 12 discípulos de Jesus. Caminhou como todos os outros, buscando a santidade, o anuncio do Reino de Deus, mas traiu Jesus. Todos os outros traíram Jesus com seus atos errados, porém, por meio do perdão tiveram a oportunidade de mudar de vida. A diferença, é que Judas não acreditou na misericórdia de Deus, não acreditou na possibilidade de ser perdoado por seu erro, e teve um fim tão triste, o suicídio.

O perdão tem um poder transformado nas vidas, e assim também ocorreu comigo. Meus pais se separaram quando eu tinha apenas um ano, e minha mãe em meio à toda pressão do momento foi embora, me deixando com minha avó paterna. Cresci sem a presença da minha mãe, sem saber o que era a figura de mãe, ainda que a minha avó tenha me amado muito. Pois bem, cresci, e em minha consciência eu tinha minha mãe como morta, mesmo que ela aparecesse esporadicamente, para mim era indiferente, sendo que o meu lema era “não sinto falta de algo que nunca tive”. Foi então que Jesus num dia, em uma adoração na comunidade, me disse: “Se você quer mesmo me seguir, honrai pai e mãe”. Aquilo foi uma verdadeira punhalada no coração, algum tempo depois, mais uma confirmação em outra adoração, uma mulher que nem conhecia a minha história disse: “Filho, me perdoa, eu era muito nova, eu não sabia o que estava fazendo”. E tudo aquilo começou a mexer comigo, num outro grupo de oração, junto aos adultos o pregador, puxando uma oração diante do santíssimo, disse: “Há alguém aqui nesta sala que nunca disse um ‘eu te amo’ para sua mãe, e o Senhor diz que hoje é o dia”. Então não tinha mais dúvidas, era comigo, Deus queria mais de mim, foi então que saí do salão onde estava o santíssimo e liguei para minha mãe. Eu nunca havia ligado pra ela em minha vida, ela atendeu surpresa e perguntou se tinha acontecido alguma coisa e eu disse “Não. Mãe… Só liguei para dizer que eu amo você!”. Como aquilo foi libertador! Foram 18 anos sem nunca dizer isso para a minha mãe. Não foi fácil, precisei rasgar meu coração para perdoar, mas foi a melhor coisa que poderia fazer. Os frutos do perdão vieram, apenas dois meses depois desta ligação, Deus deu uma segunda chance a minha mãe, e ela me ligou para avisar que estava grávida. Após 18 anos ela seria mãe novamente. Hoje a Grasielly, minha irmã, é uma menina linda, mantemos contato, nos falamos por telefone e internet, saímos sempre que possível, visito a casa delas, e tudo isso só é possível, pois me abri ao perdão.

Jamais se esqueça, o perdão tem o gosto amargo, mas seu fruto é doce. Dar ou pedir o perdão, não é fácil, porém através dele grandes milagres podem acontecer em sua vida.

Com a benção da Sagrada Família de Nazaré.

Bruno Onofrio
Consagrado da Comunidade Sagrada Família
e Coordenador do Projeto Resgate Jovem

Publicado em Formações | Deixar um comentário

Parábola do Filho Pródigo (Bruno Onofrio)

Publicado em Pregações (Vídeos) | Deixar um comentário